Paulo Lima - Minha única riqueza

Imagem da Internet


A muito tempo fui muito afortunado.
Desfrutei de onde muita gente não desfrutou,
Fui aonde pudi ir,
Desfrutei o que o dinheiro comprou...
No berço de ouro nasci, fizeram festas, mataram bois
Tudo para comemorar,
Velas de sete dias acenderam, e uma missa mandaram orar.
Mas o tempo foi muito injusto
E por ironia desse destino,
Fiquei somente com a vida, andando feito peregrino....
As roupas de diversos estilos tinha de ruma e salteada,
Hoje me contenho com o que tenho, com poucas que me foi doada.
Sapatos eu tinha feito juá no pé,
Hoje tenho um furado e outro doado por alguém que não o quer...
Viagens, era três por ano, para não se sentir só e nem carente,
Hoje apenas viajo vendo as fotos daquele tempo tão contente...
Hoje a minha única riqueza é o amor que cultivo no peito
Nesse peito tão sofrido e muito ardido, mas que ainda é capaz de amar.
As lagrimas da minha face esse amor veio afagar,
E unica riqueza que a gente tem, é ter alguém para abraçar...


Paulo Lima

Comentários