Paulo Lima - Lindalva, a Dona Felicidade


Minha pobreza é não poder comprar chinela,
Pois prefiro ter na mesa minha "cumidinha",
A chinela fica no prego, ando com ela pra todo canto:
Igreja, escola, casa da vizinha.
As minhas roupas são tão simples,
De vez em quando aparece alguém para doar,
Olho, escolho e não vejo a hora de vestir.
Minha pobreza é essa daqui!
Mas mesmo com tudo isso, vou a frente.
Não vivo com ambição, fiz meu próprio acampamento,
Nem sabia esses homens todo arrumado,
Que a gente tava era atrás de alimento.
Quando vinha a chuva moiava tudo.
Carregava nossa comida, nossa chinela, nós nem se abatia.
Quando acordava, arrumava de novo, e o que a água levou estendia. E nós lá, concertando tudo no meio da ventania.
Hoje tenho meu roçado, tenho meu jumento.
É felicidade aqui, ainda tô feliz aqui!
Meu sonho era comprar um roçadinho,
Antes mesmo de papai partir.
Por conta dessa politica que ajuda quem não precisa,
Dormir no chão no meio desse mundo, fui na tv diária.
Dormir no chão para ganhar minha terrinha.
-Agora ela é minha!
Toda noite eu vou para escola
E não vejo a hora de meu nome escrever,


-Isso que é negrada, eu já com 55 anos, e ainda tô aprendendo ler...


Paulo Lima

Comentários